tudo é provisóriamente eterno para os poetas... tudo é eternamente provisório para os amantes e o poema apenas a configuração do instante.

-Capinam-

2 de maio de 2015

Há(verá) você.

Esperava pela chuva que se atrasou de tal forma que até nos deixou indecisos sobre a estação. Apesar de sua demora, já fazia frio há algum tempo e não esperava que houvesse algo que se atreveria a aquecer a noite escura. Mas houve, e era você. 
Chegou um momento em que já não sabia se deveria deixar-me invadir por teu calor ou repelir tão sensação tão imediata ou deixar que aos poucos me aquecesse e me preenchesse... mesmo sem saber por quanto tempo duraria este conforto e este bem estar que me oferecias.
Fui sendo aquecida, pouco a pouco, dia após dia, a cada minuto de espera e a cada aparição repentina. E essa sensação de calor que há tempos não sentia, surpreendeu-me de tal forma que me pergunto como é possível ser tão bom e tão inesperado assim. Mas foi e é assim porque é você e por ser você há este conforto tão doce e tão leve que não há como pensar em frio ou permanecer esperando pela chuva.
Aquecendo-me, te aqueço e a noite que estava escura começa a resplandecer com incontáveis feixes de luzes coloridas por todos os lados enquanto toca uma daquelas músicas que gostamos na mesma proporção. E gostando de estar assim, gostando da tua presença, gosto desejando intimamente que gostes do que te ofereço também.
Está amanhecendo e talvez me deixes. Mas permaneces nessa minha sensação gostosa de te sentir. Fica, eu peço. Porém já terás ido... e fico destinada ao aguardo... até o momento em que voltes.



2 selos:

Cíntia Rosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cíntia Rosa disse...

E dessa forma nos aconteceu!
Ele ficou, ele está!
E todas as noites nos aquecemos...

Postar um comentário