tudo é provisóriamente eterno para os poetas... tudo é eternamente provisório para os amantes e o poema apenas a configuração do instante.

-Capinam-

13 de setembro de 2010

À quem eu mais amei nessa vida.

Eu tentei pensar no que escrever. Não consegui organizar pensamento algum... e por isso ficou tudo assim mesmo, desordenado e com sentimento de saudade.
Saudade de quem mais me amou nessa vida.

Em 1990 o parto de uma mãe solteira foi meu primeiro acontecimento na vida. Minha mãe, a minha vida. Hoje, nas fotos posso perceber o olhar vibrante de uma mulher linda que acabara de conceber, dar a luz ou qualquer quer seja a nomeclatura que é costumeiro dar a esse momento. Eu prefiro dizer que fui parida. Sim, parida e amada desde esse dia até o dia em que findou-se a vida para uma de nós.
A mim, hoje, não importa o fato de termos morado em tantas cidades e estados diferentes todos os anos. O que eu sei é que fomos principalmente só nós duas... duas pra guerrear no mundo.
Tenho orgulho de dizer que o que vivemos, eu e ela, foram os momentos mais significativos e formadores da pessoa que sou hoje. A política, o mst, a realidade, o sindicato, o funcionalismo público, as vezes em que passamos fome, dormimos mal, as vezes em que foi preciso fazer grandes sacrifícios e as vezes que a vi chorar...
A vez em que ela me aceitou como sou e me amou da mesma forma, porque sabia que eu precisava.
E depois vivemos a falência dos rins, a hemodiálise, o medo, a insegurança... tudo vencido por ela... por nós, juntas. E como se não fosse o bastante veio o câncer... com ele a quimioterapia, os enjôos, a queda do cabelo e a fraqueza física. Mas com a força que não sei de onde vinha e da vontade de viver que ela tinha eu a vi vencer todas estas coisas mais.
Eis que chegou o momento em que conhecemos uma palavra fria e triste que, eu não sabia mas, ia me assustar por muito tempo - Metástase.
Essa porra de metástase que significou para mim o medo constante de perder a pessoa mais importante da minha vida, agora era fantasma presente todos os dias. E com ele veio o sangue, escarrado diariamente no balde ao lado da cama... veio a ausência de fome, outra quimioterapia, a dificuldade de respirar, as noites em claro, o hospital, o medo, o choro e a partida.
Partida para nunca mais voltar. Para sempre.

O choro no hospital, no velório e no sepultamento. O choro de todos nós.
Não sei bem quantos "meus pêsames" e "meus sentimentos" eu ouvi... de verdade não sei quantos foram mera formalidade, mas o que lembrarei sempre e darei devida importância é aos abraços sinceros e a atenção que recebi de cada pessoa nesses dias difíceis, escuros e tristes. Os vagalumes que fizeram força pra iluminar meu caminho quando a minha luz se apagou.
Aos vagalumes,
serei eternamente grata.

À minha luz,
sentirei eternas saudades.

E a dor e tristeza ainda existem... mas guardo só pra mim.
Sorriso de exorcismo.
.
.
.
.
.
[poderia ser mais bonito, poético ou emocionante. Mas é só um texto, que eu não tinha intenção de escrever. O que eu senti e sinto nunca poderia ser demosntrado aqui. Eu nunca conseguiria.]
-
Para quem eu mais amei na vida, Renise Sandra de Castro Souza, a minha mãe. Alguém em quem sei que vou pensar todos os dias que me restarem.

19 selos:

Desconexo disse...

Tinha como ser mais bonito, poético ou emocionante que isso!?
A tua mãe É uma grande mulher e sei que ela sempre se orgulhou muito da filha que criou tão... tudo!



Vagalumes: iluminando teu caminho aonde quer que tu vá.

Natália disse...

A gente segue... Com uma lágrima ou um sorriso, mesmo que de exorcismo, a gente segue.
('a gente', no plural, pq a tua dor, também é minha)
Eu te amo, orgulhinho.

Eu sei, tu sabe. =)

Fóssil disse...

Discordo. Acho que não poderia ser mais bonito, poético ou emocionante.

Desculpe não ter sido ou estar sendo um desses abraços, Camilinha. Mas eu te amo muito, sempre. E estou aqui rezando muito pra ti e a tua Luz continuar te iluminando lá de cima...

Beijos.

Valéria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valéria disse...

Eu num sei se sou um desses vagalumes, se posso me considerar um deles.. Mas eu sei que o abraço que te dei foi sincero e verdadeiro e eu vô sempre tá por perto (ou me esforçar) quando desejares minha acolhida..

Quanto ao sorriso de exorcismo, em momentos de dor e angústia pode ser um bom remédio pra amenizar a falta e a presença que podem ser perturbadoras as vezes..

Eu sei que onde tua mãe tá hoje não há sofrimento e dor a ela, e sinta-se feliz por ela tá em um lugar melhor que esse aqui, velando por ti e por tuas escolhas daqui pra frente..

Os vários vagalumes que estiveram presentes nos piores dias de tormento não te negarão nunca um aconchego, e se eu não for um desses, desejo agora ser.. :D

Continua sendo o orgulho da tua mãe, das pessoas que te conhecem e te amam! *-*

Juliana Severo disse...

Ah,Camila! Dói tanto não poder estar perto pra poder ajudar! Passei os últimos anos,especialmente os últimos meses,sempre pensando em como vocês estavam,rezando pela sua mãe.
Depois desse texto eu lembrei de quando sua mãe fazia algo que não te agradava (lembra da franja?)e eu pensava num sorrisinho tímido "ai,essas bobas se amam!".E eu amei vocês duas.

Me sinto mal porque não pude dizer a Renise o quanto ela foi importante naqueles anos adolescentes,que eu amava de verdade minha Tia Renise. Me sinto mal por não poder oferecer a vocês mais do que minhas orações e palavras através da internet.

O que eu puder fazer por vc,farei sempre! Espero ser um desses vagalumes! ;)

E,se orgulhe sim dessa mãe maravilhosa que vc teve!

milapaiva_gata disse...

Milinha, história linda e com uma parceira fiel, tia Rêh. Amo vocês, ela pra mim, uma mulher forte, alegre e guerreira. Você, não é muito diferente não. Nosso orgulho.

Espero sempre fazer parte desses vagalumes.

-.- Saudades.

mayara disse...

Adoreei!! Milla..é tocante..me emocionei..nem sabia disso
creio q tua mae foi uma otima pessoa e sempre se orgulhou de ti

fabi disse...

...sem mais...

hômullo disse...

A dor mais rasgada, a viagem mais odiada e o catigo mais mais profano q existe....eis uma fagulha do que sentimos qnd o adeus é inevitavel!

Sinta-se nos meus braços...silencio!

VIVENDO E APRENDENDO disse...

Querida nao pude esta com vc mas fiquei triste ao saber que sua mae partiu.......sinta se abraçada e acolhida por mim..sua mae foii uma grande mulher percebi isso ao pouco que a conheci....se Deus a levou tenha certeza que ele tem algo melhor reservado a ela e a vc..........Tenha forças e continue a caminhada que ela começou..bjs
Fernanda Liliah,a Ruth

camila chaves disse...

Camilinha, foi bonito, poético e emocionante, sim, porque não poderia ter sido mais verdadeiro. Tu e tua mãe foram pessoas muito fortes para suportar todas essas coisas e, o que foi mais importante, venceram. Venceram, sim, porque as vitórias das batalhas que a nossa gente trava em vida acontecem cotidianamente, dia após dia.

Vagalume és tu, por ter tido, mesmo com todas essas dores e sofrimentos, os olhos brilhantes, o sorriso bonito e a leveza do teu jeito de ser. A força será preciso sempre, sempre assim como a saudade que ficará.

Eu também sinto saudades de alguém que esteve (e continuará estando) entre as pessoas que mais amei e amo nesta vida, por isso posso dizer que sei um pouco como tu te sentes. :~ Eu te desejo alegria, te desejo paz, te desejo boas lembranças, te desejo saudades saudáveis e acima de tudo te desejo força, sabedoria e leveza, sempre.

Conta comigo. Conta comigo, mesmo.

Thay luzo disse...

Simplesmente lindo, sincero, e que me emocionou...

thamara disse...

um texto muito tocante, sincero, embora triste.com uma linguagem bem clara.adoro blogs e o seu por mim será lido sempre que possível. parabens pela desenvoltura com as palavras, e claro, força! abs

Anônimo disse...

Camila você sempre me emociona, sei que está sofrendo muito e lamento não poder está aí com você.
Quero que você saiba que eu tambem te aceito como você é...
Quando precisar de um colo estarei aqui.
Beijos Tia Jô
Te Amo

-Little Pant disse...

Olá Camila, eu não te conheço, mas você conseguiu fazer algumas lagrimas cairem dos meus olhos agora.
Não sou um dos vagalumes, mas sinto muito pelo o que aconteceu com a sua tão amada mãe!
O seu texto, desabafo e amor me fez parar pra pensar e perceber que eu preciso e DEVO dar mais valor pra minha mãe!
Siga em frente, força garota!

Victor Rodrigues disse...

Bom estou eu aqui tentando um contato com voce, não irei perguntar novidades pois a pior que eu poderia ter de vocês é essa, saudades de vocês, força viu?! Lembro de como se orgulhava de você, te cuida manda noticias =]

Anônimo disse...

Camila, honra e glória a Deus, por nos ter consedido que um simples passeio nos desse a oportunidade de abraçar duas pessoas que marcaram profundamente nossas vidas. Saudades da eterna e sorridente guerreira, prá ti um forte abraço e que Deus ilumine sempre seu caminho.
Júlio e Márcia.

Méa Lima disse...

Conheço esse texto...Não sei se uma citação de Elenita Bahirah...Não lembro.
Lindo texto guria...Lindo.
Achei teu blog no teu twitter...Seguindo lá...
Lindo,lindo!parabéns!

Postar um comentário