tudo é provisóriamente eterno para os poetas... tudo é eternamente provisório para os amantes e o poema apenas a configuração do instante.

-Capinam-

31 de julho de 2011

*Ei gay, é preciso movimentar-se.

As fogueiras da Inquisição estão prestes as serem acesas novamente como outrora em que usavam os homossexuais como lenha. Percebemos na televisão, em grandes defensores da família ou nos simples disseminadores do ódio, que não falta quem esteja disposto a acender a primeira fagulha.

Se hoje os homossexuais não são queimados em praça pública são induzidos a acreditar que sua forma de existir é pecado, doença ou desvio moral grave. São empurrados pra invisibilidade do armário e pra manutenção dos bons costumes da nossa linda, limpa, virgem, pura e decente sociedade.

Os manicômios que tratavam com banho gelados e eletro choques as pessoas que não se atraíam por pessoas do mesmo sexo fecharam suas portas e deram lugar à simples pressão diária e ideológica propagada nos templos, escolas e mídia burguesa. Homofobia institucional velada e protegida por lei sob o véu da suposta (e deturpado conceito de) liberdade defendida por alguns opressores.


Mas para a surpresa de todos e mesmo frente ao perigo de assumir a si mesmo, homossexuais continuaram a existir... e a forçar as portas dos armários.


Um salve ao mais famoso marco na luta homossexual moderna: a Revolta de Stonewall em 1969! Salve a Madame Satã e a subversão dos papeis sociais de gênero que condicionam o feminino à subalternização em relação ao masculino. Todo o orgulho aos “fora do padrão de sexualidade” que ousam ser si mesmo e dão a cara a tapa, apesar pressão da heteronormatividade! Mas é preciso mais. É preciso movimentar-se.

Nosso Brasil, “o país sem preconceitos”, ocupa o primeiro lugar nas estatísticas mundiais de assassinato por homofobia. O que acompanhamos é uma onda de violência homofóbica acontecendo sob os narizes dos que afirmam que não é preciso criminalizá-la. Um país em que seu governo rifa os direitos dos homossexuais se dobrando à chantagem política da bancada religiosa e conservadora. Um governo que se omite e que mata. Um sistema que mata.

Repito: é preciso movimentar-se! Prestemos atenção no que está acontecendo... houve um grande acontecimento no que tange à luta de LGBT’s (gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros) por igualdade de direitos: o reconhecimento da união estável homoafetiva pelo STF. Porém, grande também está sendo a mobilização de reprovação a essa decisão e inclusive no sentido de vetar a aprovação do projeto de lei que criminaliza a homofobia, PLC122.

É preciso movimentar-se e estar atento para o fato de que se por um lado LGBT’s brasileiros conquistaram o reconhecimento de sua união estável, por outro continuam a mercê da violência física, moral, psicológica diariamente e sob a influência religiosa sobre um governo covarde de um estado que deveria ser laico.

É preciso estar atento ao fato de que quanto maior expressividade tiverem as nossas exigências por igualdade, maior expressividade também terá o conservadorismo e a defesa da liberdade de oprimir e discriminar. É preciso movimentar-se ou seremos afogados pela crescente onda de violência e sufocados com a fumaça das fogueiras dos corpos de nossos iguais.

É preciso movimentar-se pois não admitiremos mais que o amor por outra pessoa seja condenado e castigado cruelmente pelo simples fato de subverter ao modelo nuclear e heterossexual de família que sustenta esse sistema. Não admitiremos mais que pessoas sejam violentadas por sua diversidade e que os governos se omitam e nesse sentido contribuam para a proliferação da intolerância e homofobia.

Cada lésbica, gay, bissexual, travesti, transexual e não-heterossexuais em geral que são assassinados nesse país é um pouco de nós que morre. A cada violência cometida somos violentados juntos e não podemos admitir e reproduzir o preconceito no dia a dia. A cada ridicularização dos homossexuais em programas de humor e afirmação de preconceitos em geral, dizemos não.

É preciso movimentar-se, indignar-se, exigir e lutar. É preciso ir pras ruas, homossexuais ou não, juntos porque não admitimos que digam que LGBT’s não merecem dignidade porque essa é a vontade de deus ou da natureza. Seu governo laico (oi?) te representa? Cadê a luta na parada gay? Cadê você na luta? Cadê o seu lugar nessa sociedade branca, heterossexual, patriarcal, desigual e opressora?

É preciso movimentar-se, porque como Rosa Luxemburgo disse: quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem.



E é preciso estraçalhar as correntes.



*Ei gay, hétero, mulher, índio, estudante, trabalhador e trabalhadora... É preciso ser movimento e precisamos o ser JUNTOS.

3 selos:

Anônimo disse...

como a rosinha mesmo fala: quem não se movimenta, não sente as correntes que o prende... abaixo toda forma de opressão!! lutemos por uma sociedade emancipada e totalmente liberta de preconceito!! juliana

Anônimo disse...

texto pro opinião socialista esse aí,heim! XD

Muito BOM!Como sempre te digo, vc AHAZA, isso quando não me surpreende, hehehehe.

Parabéns pelo texto!

Douglas - PSTU disse...

Muito bom seu texto. Penso que vc toca em questões chaves para entender um pouco as causas da homofobia.
Infelizmente vivemos em uma sociedade "doente", pois se pauta sobre a exploração do homem pelo homem, o capitalismo, portanto.
Este sistema precisa da homofobia, do machismo e do racismo para se sustentar. Estes são três de seus principais pilares de sustentação, pois divide os trabalhadores colocando-os uns contra os outros. Desta forma, divididos, ficam enfraquecidos diante da luta contra a exploração e quem continua lucrando são os patrões, que não trabalham, apenas lucram explorando, no caso de LGBTs, mulheres, negros e negras super explorando,o trabalho alheio.
É preciso nos organizar em um movimento LGBT classista e independente de governos e de patrões. Nos organizar é o único caminho.

Postar um comentário