tudo é provisóriamente eterno para os poetas... tudo é eternamente provisório para os amantes e o poema apenas a configuração do instante.

-Capinam-

5 de dezembro de 2008


Diga NÃO à redução da maioridade penal.

A discussão sobre a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos ultrapassou as paredes da Câmara dos Deputados.
A idéia equivocada de segregar e punir jovens infratores vêm ganhando força de forma assustadora na opinião pública, junto com a “crença” de que a questão precisa ser tratada na esfera policial e não no âmbito da garantia de direitos, principalmente entre os/as jovens. Acreditar que essa saída pode diminuir a escalada da violência é uma atitude muito simplista.
Punir e segregar jovens não impedirá que a violência avance e se reproduza. A QUESTÃO DA DESIGUALDADE E DE OPORTUNIDADES NÃO ESTÁ SENDO DISCUTIDA. A ação precisa garantir o desenvolvimento dos/as adolescentes e jovens para impedir que se amplie e exclusão social e o avanço da violência que tem ocorrido não apenas entre jovens, mas em toda a sociedade.
Uma das formas de se solucionar o problema é melhorar o sistema de proteção social, assim como fortalecer as políticas públicas e sociais, respeitando os/as jovens como cidadãos/ãs portadores/ras de direitos.
Uma grande caminhada sempre começa com um passo, portanto, faça sua parte em negar essa futura prática exagerada.
É importante lembrar que agora são os de 16 anos, com a redução de maioridade serão os de 14 que serão usados nos crime e assim sucessivamente. Dessa forma dá pra perceber o quão falha seria essa nova lei na prática.
Digo isso fora o fato de que prisão não faz a pessoa ser boa. Muito pelo contrário, quantos de nos já não soubemos de furtadores que saíram da prisão como ladrões de banco ou praticantes de delitos piores? É esse futuro que queremos pra juventude desse país eu quando termina sua pena e vai para as ruas, não consegue emprego em lugar nenhum vindo a voltar aos crimes?

6 selos:

Camila disse...

Bom, eu ainda acredito que, se não resolver, MELHORA sim. =) Eu sou a favor da redução. Temos exemplos que mostram que pode ser uma saída. Quem sabe esse já não seja um grande passo? O mundo do crime é muito mais fácil do que a abertura de oportunidades, viu? Uma parcela não tem, realmente, acesso, mas existe a parcela que tem e não quer porque o dinheiro e o falso crescimento chega mais cedo pelo caminho contrário, a gente sabe disso. Então pensemos assim: reduzir a maioridade penal (porque criminoso é criminoso e isso independe de idade, viu? Quem mata precisa ser punido, quem pratica crimes tem que receber seu castigo, é assim desde o início dos tempos.) e enfatizar o processo de abertura de oportunidade, aí aqueles que REALMENTE fazem questão seriam beneficiados.
É bom observarmos a questão como ela é, ou seja, bem DIVIDIDA. Nem todo jovem é criminoso e nem todo jovem quer oportunidade melhor que o crime.
Oportunidades ficam para aqueles que não estarão pagando por cometerem crimes. Lugar de criminono é na cadeia e novamente: idade não importa.

Beijo, meu amor! ;D

Camila disse...

Ah, sim, tinha esquecido: 10, 11, 12, 13, 14, 15 ou 16, não importa, cometeu crime é CRIMINOSO. E eu até penso que essa redução deveria ser RADICAL, não deveria ser marcada por idade.

;*

sem selos off disse...

aiai... daki a pouco novo post sobre isso mila...

vamos ver se vc se convence :)

Calli.Strange; disse...

Eu digo sim a redução!
Interessante teus argumentos e tal,mas a questão vai mais além.
Primeiro porque o programa de segurança e política pública é tão falho que acaba não tendo base pra uma estruturação social que combata realmente a violencia,o que seria o ideal,enquanto tal fato não se consome na sociedade brasileira,é preciso atenuar,ao menos.
Concordo cm Camila,essa questão ainda é bem dividida,e criminoso é criminoso mesmo,idade não importa.

Calliandra-off disse...

é normal que eu tenha esquecido algumas coisas mesmo. outras estão nas entrelinhas :)


beijos ;*

Glauber disse...

Camilinha,

a questão não é o crime e sim o que leva ao conjunto de violência que se encontram nossos/as adolescentes e jovens ora sujeitos e/ou protagonistas desses absurdos de violências. Reduzir por reduzir não resolverá o problema ou desafio em questão. Temos que pensar alternativas que minimizem esses impactos de violência nesta gama da população tipo: geração de emprego e renda, cursos de capacitação e profissionalização, locais de lazer, melhores escolas, etc. Por isso, sou CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL!

Beijos preta e parabéns pelo seu blog, pois assim que tem que ser... usar a net para apreder algo interessante!!

Ass: Glauber Leonardo.

Postar um comentário